Eu posso mudar o mundo || ACMA

By Vera Marques - 24 janeiro


A cada dia que passa, muitas são as provas de que as alterações climáticas são reais. No entanto, há quem as prefira negar, afinal, é muito mais fácil dizer que não existe problema nenhum do que fazer alguma coisa para evitar algo bem mais grave! Porém, não é preciso pesquisar muito para concluirmos que as nossas ações têm consequências, que um gesto que nos parece insignificante, em conjunto com muitas outras insignificâncias, pode realmente prejudicar-nos. É preciso fazer alguma coisa, e o mais depressa possível! Mas afinal o que é esse qualquer coisa que nós podemos fazer? Desafiada pelo projeto ACMA a escrever um post sobre maneiras de mudar o mundo, eu decidi vir contar-vos os três passos que eu acho essenciais para nós podermos contribuir para acabar com os problemas ambientais, afinal todos nós habitamos este planeta, todos nós somos afetados pelas nossas escolhas então todos nós temos o dever de fazer alguma coisa para evitar um problema maior. Assim sendo, o que é que eu posso fazer para evitar os problemas ambientais? Como será que eu posso mudar o mundo?

1. Pesquisar sobre o assunto. Antes de mudarmos seja o que for, temos de entender o problema. No caso dos problemas ambientais, sendo um assunto bastante complexo, é realmente preciso pesquisar e muito. Para além de que surgem constantemente novos estudos. Então, o primeiro passo é realmente informarmo-nos: ver documentários, ler artigos de revistas, reportagens, etc. 

2. Sê a mudança que queres ver no mundo, já dizia Ghandi. Depois de pesquisarmos e entendermos o problema e o que precisa de ser mudado, estamos aptos para mudar as nossas ações. Reciclar, preferir as energias renováveis, comprar a granel, preferir produtos provenientes da agricultura biológica, usar produtos de limpeza ecológicos, acabar com o consumo de combustíveis fósseis preferindo, por exemplo, carros elétricos, são apenas alguns exemplos de mudanças das quais tomamos conhecimento, lá está, com uma pesquisa, e que nós podemos pôr em prática e que farão a diferença.

3. Espalhar a palavra. Os problemas ambientais só chegaram ao nível que chegaram porque todos nós contribuímos, de alguma forma, para eles. Então, se foi preciso o contributo de todos nós para causar os problemas ambientais, também é necessário o contributo de todos para reverter esta situação. Assim sendo, é importante falar deste assunto com os outros, para que mais pessoas tomem conhecimento do problema, para que mais pessoas mudem os seus (maus) hábitos. Nós sabemos isto ou aquilo porque alguém nos falou disso, vamos então partilhar o nosso conhecimento? Daí que a pesquisa seja tão importante, se vamos falar sobre um assunto com alguém é importante que saibamos do que estamos a falar. 

Na minha opinião, estes são os três passos essenciais para fazermos mesmo alguma mudança. No fundo, não é assim tão complicado! Vamos sair da nossa zona de conforto ao mudarmos tanta coisa na nossa vida? Sim, vamos! Mas, e daí? Não nos estão sempre a dizer para arriscar? Para evoluirmos? Então, para isso é preciso mudar! Esta é a palavra-chave. Não se esqueçam e repitam comigo: eu posso mudar o mundo. E do que estamos à espera?

*Sobre o projeto A Cultura Mora Aqui
Criado pela Ju, do blog Cor Sem Fim, o projeto A Cultura Mora Aqui - ou ACMA, para abreviar - tenciona, tal como tenho vindo a referir nos meses anteriores, trazer a cultura de volta à Internet com temas mensais ou bimestrais. Para participarem, só têm de enviar um e-mail com os vossos dados para acma.cultura@gmail.com - aproveito para repetir que não vamos falar sobre outfits, maquilhagem, moda, etc, e que qualquer um de vós pode participar, não sendo obrigatório fazê-lo todos os meses. Para não perderem nenhum post, já podem seguir a página do ACMA no facebook e a Revista.

  • Share:

You Might Also Like

2 comentários

  1. São de facto dicas ótimas e este é um tema a que não devemos mesmo fechar os olhos.
    Beijinhos
    http://virginiaferreira91.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Sem dúvida que são excelentes dicas! Temos de começar por algum lado, não é verdade?!

    ResponderEliminar